Espondilolistese tem solução sem cirurgia?

Espondilolistese tem solução sem cirurgia?

Informe-se bem: O que é a Espondilolistese (escorregamento vertebral)? Opinião de um especialista – Espondilolistese.

A palavra ESPONDILOLISTESE é um neologismo que vem da língua grega e significa escorregamento vertebral ou deslizamento vertebral. Ocorre quando uma vértebra desliza por sobre outra.

Quando a vértebra de cima desliza para a frente da vértebra de baixo, chamamos isto de ânterolistese.

Quando a vértebra de cima posiciona-se mais para trás em relação à vértebra debaixo, trata-se de retrolistese.

A ânterolistese mais frequente no adulto é a que está relacionada ao passar dos anos, ao envelhecer, à degeneração discal. Esta listese vertebral é conhecida como espondilolistese degenerativa. Ocorre com mais frequência em pessoas que tem uma lordose mais importante, em geral mulheres, depois dos 40 ou 50 anos, e geralmente o escorregamento vertebral ocorre entre a 4a. e a 5a. vértebras lombares.

Esta situação ocorre geralmente em pessoas que tem uma lordose tipo IV de Roussouly, com grande incidência pélvica. Nem sempre acontece instabilidade observada nas radiografias dinâmicas. Assim, a indicação de uma artrodese para estabilização é, por vezes, discutida.

A espondilolistese degenerativa pode estar associada a outros eventos da coluna e nervos:

  • artrose facetária
  • artrite facetária
  • estenose do canal vertebral
  • estenose do canal radicular
  • cisto sinovial
  • protrusão discal
  • degeneração discal
  • hérnia discal
  • retrolistese de níveis adjacentes para manutenção do equilíbrio lateral (sagital) da coluna
  • escoliose degenerativa

Quais os sintomas de espondilolistese?

A pessoa que descobriu na ressonância ter uma espondilolistese podia ter os seguintes sintomas, isolados ou combinados:

  • dor nas costas (lombar)
  • dor na perna (ciática)
  • sensação de pêso ou cansaço nas pernas, sendo necessário sentar-se após certo tempo de caminhada (“a pessoa está sempre procurando um banco, uma cadeira”)
  • rigidez na coluna
  • dificuldade para colocar a coluna para trás

Assim, para se decidir o que fazer como tratamento, só mesmo uma consulta com grandes especialistas pode, de fato, trazer uma resposta. Marque agora sua consulta para que nossa experiente avaliação possa dar-lhe a melhor solução.

A espondilolistese ocorre com mais frequência na coluna lombar e não significa necessariamente precisar de uma cirurgia de coluna.

Outras causa comum é a espondilolistese causada por FRATURA DO ISTMO vertebral, conhecida como ESPONDILÓLISE (espondilolistese ístmica).

Veja na vértebra o istmo quebrado.

A quebra ou lise do istmo vertebral (ver foto) pode gerar dor lombar persistente, e às atividades esportivas, principalmente aquelas que exijam colocar a colocar para trás, em extensão, como no momento de um saque no tênis, ou no momento de uma cortada no vôlei, ou quando o surfista levanta e fica em pé na prancha ou quando se faz um movimento para trás com a coluna em algum exercício do Pilates.

A fratura do istmo vai parecer na radiografia como fratura no pescoço do “cachorrinho”. Não parece um cachorrinho?

A lise do istmo pode levar a um escorregamento de uma vértebra por sobre outra (isto é a espondilolistese) e podem haver compressão radicular (de nervo) e instabilidade da coluna. Geralmente ocorre com a vértebra L5 deslizando para a frente em relação à vertebra de baixo, S1 (sacro). A cirurgia pode vir a ser necessária.

Quando há um pequeno deslizamento, fala-se em grau 1, quando há uma grande listese, fala-se em grau 4. E espondiloptose é o quadro mais severo.

Quando se define a necessidade de uma cirurgia de coluna para espondilolistese, a artrodese de coluna é o tratamento mais indicado. Consiste na estabilização da coluna com parafusos de titânio.

Este tipo de tratamento foi uma fantástica evolução dos tratamentos de estabilização da coluna. No Brasil, até o fim da década de 1990, somente haviam antigos sistemas que não respeitavam a curvatura lateral normal da coluna. Os novos sistemas usando parafusos de titânio dão ao cirurgião a possibilidade de se reconstruir a coluna respeitando a lordose do paciente, não deixando a coluna “sem lordose adequada”.

Dr. João Luiz aprecia o estudo da espondilolistese e coordenou uma equipe internacional para realizar um trabalho publicado na França sobre ESPONDILOLISTESE. O convite veio do Dr. Christian Mazel, de Paris, que foi, junto com o Dr. Raymond Roy-Camille, um dos precursores do uso dos parafusos pediculares de estabilização/artrodese da coluna.

Este trabalho científico coordenado pelo Dr. Pinheiro Franco foi a edição especial do jornal internacional especializado em coluna e artrodese de coluna, “Argospine News and Journal”.

Para a realização deste grande trabalho científico internacional sobre espondilolistese, Dr. João Luiz coordenou grandes especialistas em cirurgia de coluna internacionais dos EUA (Harvard), Finlândia, França e Canadá, contando com presença de Drs. Lenke, Bridwell, Schlenzka.

Para saber se seu caso necessita de cirurgia ou não, traga seus exames e venha à Clínica Pinheiro Franco. O futuro de sua qualidade de vida pode depender, em primeiro lugar, da decisão correta sobre se seu caso necessita de cirurgia ou não e, em segundo lugar, da escolha da cirurgia correta. Uma decisão errada pode trazer consequências importantes a sua qualidade de vida. Marque uma consulta ainda hoje.

POR QUE VOU ME TRATAR NA CLÍNICA PINHEIRO FRANCO?

Diante do enorme número de técnicas, o paciente, ao ter um problema, como uma hérnia de disco, fica totalmente confuso com a enorme possibilidade de tratamentos que ele ouve e que ele encontra, também lendo no Google. O objetivo dos médicos da Clínica Pinheiro Franco é dar a você a chance da escolha do melhor tratamento para o seu caso em particular.  Para tanto, nosso Diretor da Clínica Pinheiro Franco, o Dr. João Luiz Pinheiro Franco trabalha arduamente no controle de qualidade do que é publicado em ciência da Coluna Vertebral e Neurocirurgia.

MAS, como ele faz isto?      Ele é o único brasileiro membro do Corpo Editorial dos 4 respeitados jornais científicos internacionais: Jornal Norte- Americano de Coluna SPINE, jornal europeu de coluna European  Spine Journal, jornal norte americano Clinical Spine Surgery e o jornal oficial da Federação Mundial de Sociedades de Neurocirurgia: jornal World Neurosurgery.

O Dr. Pinheiro Franco  deve analisar o que é boa ciência e o que não é boa ciência. Esta enorme experiência contribui para que ele e sua equipe possam analisar os prós e contras de cada técnica e  propor o que há de melhor para o seu caso em particular.

Em resumo, venha nos conhecer, mostre seu caso, traga seus exames e procuraremos o melhor tratamento para você.

Clínica Pinheiro Franco, 42 anos de confiança.

Uma história de pai e de filho.

Uma história de luta pelo nosso maior bem.

Uma história pela Qualidade de Vida.

Livro do Dr. Pinheiro Franco em que os tratamentos da espondilolistese são explicados.
Livro foi publicado em New York recentemente.

Compartilhe

Outras publicações

Outros Tratamentos

Minimamente Invasivo

Biacuplastia intradiscal

Tratamento que consiste em cauterizar as fibras nervosas causadoras de dor que estão dentro do disco vertebral.

Micro Cirurgia
Microcirurgia Zeiss

Microdiscectomia Zeiss

A microdiscectomia é, para o tratamento da hérnia de disco, o que se chama de padrão-ouro (gold standard em inglês). O que isto significa? Significa

Agende uma Tele Consulta

Consulta presencial ou on-line para um diagnóstico preliminar.